O QUE QUEREMOS

Nosso canal é uma tentativa de construir um manifesto para os dias de hoje. Como já diz o nosso nome, bebemos das fontes dos manifestos clássicos do pensamento de esquerda e da sua radicalidade. Mas queremos construir um manifesto que não seja um objeto estático e fechado, e sim um processo aberto, que abrigue o diálogo, a contradição e a pluralidade de saberes e práticas que compõem o nosso campo.

O MANIFESTO: é fruto da nossa vontade de conhecer e agregar ideias e histórias, da nossa obrigação de contribuir no debate público, e do nosso desejo de nos expressar politicamente. É justamente por isso que o seu formato é de um canal: para que sua força esteja em ser construído de forma constante e coletiva, por nós e nossos companheiros, em cada nova conversa gravada, em cada texto escrito e em cada discussão e reflexão que conseguirmos provocar.

Aqui queremos debater as emergências do presente e imaginar a possibilidade de construir um mundo em que sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres, como nas palavras de Rosa Luxemburgo.

QUEREMOS APRENDER COM AS VISÕES E EXPERIÊNCIAS DOS MOVIMENTOS SOCIAIS E ORGANIZAÇÕES POPULARES

O MANIFESTO: só faz sentido se for construído junto com companheiros dos movimentos, organizações e coletivos populares. Estes que estão nas ruas, denunciando e resistindo às desigualdades e violências, ensaiando no presente outros mundos possíveis e construindo uma visão crítica da realidade, a partir de diversas abordagens e vindos de diferentes lugares. Há uma infinidade de histórias para serem contadas e de pontos de vista para serem conhecidos e debatidos!

QUEREMOS AJUDAR A DIVULGAR AS IDEIAS E PRÁTICAS QUE VÊM DA UNIVERSIDADE E DOS SEUS PESQUISADORES

Estamos ou estivemos na universidade pública e temos orgulho disso. Mas não acreditamos que ela deve ser para poucos, e que as barreiras entre os diálogos acadêmicos e a maior parte da sociedade devem continuar existindo. Queremos ser um espaço para que estudantes, professores e pesquisadores, principalmente os mais jovens, possam trazer suas ideias, ações e reflexões para a discussão. Queremos conhecer as iniciativas que estão hoje quebrando os muros das universidades! Em tempos de ataque, respondemos com uma luta por universidades cada vez mais populares e presentes.

QUEREMOS APRESENTAR PROPOSTAS DE TRANSFORMAÇÃO DO MUNDO, EXPERIMENTADAS NO PRESENTE

Queremos que o MANIFESTO: seja um espaço de construção de um projeto de esquerda, agregando histórias e ideias de práticas políticas transformadoras, vindas de pesquisadores, profissionais, movimentos e coletivos que, já no presente, imaginam e exercitam alternativas. Elas existem e são possíveis. Queremos ajudar a superar a oposição reativa, e junto com os nossos companheiros, construir um repertório de projetos e ações.

QUEREMOS CONSTRUIR NARRATIVAS À ESQUERDA, EM OPOSIÇÃO AO AVANÇO NEOLIBERAL E PROTOFASCISTA

A oposição ao fascismo no Brasil e no mundo precisa necessariamente ser uma oposição anticapitalista, antiliberal, antiracista, antipatriarcal e decolonial, ao mesmo tempo. Indo à raiz das questões, desmontando os discursos dominantes, questionando as falsas polarizações e desvelando os consensos forçados. Críticas que ajudam a produzir uma oposição qualificada e apresentam outras formas de enxergar e enfrentar nossos problemas.

QUEREMOS FALAR SOBRE QUESTÕES PROFUNDAS DE FORMA DESCOMPLICADA

Acreditamos que ampliar e democratizar conhecimentos e promover diálogos significa democratizar as formas, o que não significa empobrecer os conteúdos. Como fazer isso? Sabemos da dificuldade dessa tarefa e que ela envolve um esforço constante de formatos, abordagens e linguagens, e nos propomos a assumi-la. É por isso que somos um canal que é blog e podcast.

QUEREMOS SER UM ESPAÇO PARA EXPERIMENTAR LINGUAGENS E EXPRESSAR NOSSAS OPINIÕES

O MANIFESTO: pretende abrigar saberes diversos, vindos de muitas áreas e lugares, e foi criado como um espaço informal e horizontal. Por isso, nossos textos são ensaios e nossas discussões no podcast são como conversas. Assim, queremos que o canal seja um espaço de diversidade de formas, conteúdos e opiniões, e que construí-lo seja um processo prazeroso.